29/11/2007

Na Folha do dia 26/11

FERNANDO DE BARROS E SILVA

ABC da miséria nacional

SÃO PAULO - "Sabemos falar muito bem a nossa língua (...). Queremos brasileiros melhor educados (sic), e não brasileiros liderados por gente que despreza a educação, a começar pela própria." O que foi isso? Um acesso de esnobismo? Uma manobra diversionista para desviar o foco do mensalão tucano? Inveja e despeito? Um pouco de tudo, mas antes de mais nada Fernando Henrique Cardoso foi vulgar e mesquinho ao açular nesses termos o velho preconceito de classe que ele um dia já combateu.
Que o professor emérito e de carreira internacional tenha tropeçado no idioma nativo justamente quando zombava do metalúrgico pouco letrado é um detalhe cômico que só torna o episódio mais grotesco. O essencial não está, obviamente, no maltrato da língua, o que nem é novidade. O sociólogo um dia já manobrou muito bem as idéias, mas nunca foi um estilista. Seu texto é sofrível. Também nisso é legítimo representante da elite local.
Os tucanos falam muitas línguas, são gente que trabalha e estuda, que estuda e trabalha, disse o príncipe. Pois os estudiosos deveriam ler as 90 páginas da denúncia do procurador-geral Antonio Fernando Souza sobre o valerioduto do PSDB. Está em português, claro e cristalino.
Ali o esquema de rapinagem dos cofres públicos a serviço de Eduardo Azeredo em 1998 é descrito como "origem e laboratório" do mensalão petista. A diferença entre a farra mineira e a que se deu sob Lula seria de escala. Não é uma gincana muito edificante.
"Estamos aprendendo com a Era Fernandina como de fato ficou brutalmente estúpido ser inteligente", escreveu no caderno Mais!, ainda em 2001, o filósofo Paulo Arantes. O "apagão" da inteligência progressista desde então só avançou. E já ficou claro a essa altura que tal breu está relacionado à falta de perspectiva decente para o país. Ou, como disse João Moreira Salles em entrevista à Folha, "nossas ambições se tornaram mais medíocres". É um moço bem-educado. E ele FHC conhece muito bem.

6 comentários:

Anônimo disse...

Do PSDB da elite ao elitismo do PSDB. FHC cospe no prato que comeu com o antigo aliado no início da era democrática brasileira.
O príncipe dos sociólogos mostrou a face da burguesia, que não aceita um sujeito de origem pobre, nordestino, que não teve acesso aos bens de estudo, chegar ao poder.

Anônimo disse...

O problema é que ninguém tem um projeto contundente para o país, e a conversa é deveras pequena.

Dino Moreira disse...

Duke,
tanto o texto que você publicou quanto o comentário anônimo apresentam sinais de briga partidária. Termos como "príncipe", "burguesia", "Era Fernandina", "bens de estudo", a velha "zelite", são típicos de petistas (os sectários da religião PT e não os que votam no PT) ou de mentes "de esquerda".

Nessa discussão eu não entro. Será que nosso amigo "anônimo" sabe definir burguesia? Ou para ele é "tudo isso que tá ai"? ou "essa classe que nos oprime"?

No texto do Fernando de Barros, o cara começa a falar sobre a lingua solta do FHC e simplesmente passa para pecados do PSDB! E por acaso o Azeredo exime algum mensalista???

Numa das poucas vezes em que o Lula não defendeu a ignorância, disse:
"Não é mérito, mas, pela primeira vez na história da República,
a República tem um presidente e um vice-presidente que não têm
diploma universitário. Possivelmente, se nós tivéssemos,
poderíamos fazer muito mais."

E tem muito mais:
--- "Eu sou filho de uma mulher que nasceu analfabeta."
--- " O governo tenta fazer o simples, porque o difícil é difícil."
--- "Na Amazônia, vivem 20 milhões de cidadãos que têm mulheres e filhos. Mulheres e filhos são apêndices dos cidadãos..."
--- "O continente sul-americano e o continente árabe (??) não podem mais, no século XXI, ficar à espera de serem descobertos."
--- "Todo brasileiro tem motivos para se sentir otimista. As perspectivas só são ruins para os desempregados."
--- "A grande maioria de nossas importações vem de fora do país."
--- "PELOTAS É UMA CIDADE QUE EXPORTA VIADOS."
--- "Não é a poluição que está prejudicando o meio-ambiente. São as impurezas no ar e na água que fazem isso."
--- "Todo mundo tem o direito de ser contra, a favor ou muito pelo contrário."
--- "Um livro para uma criança, é como uma esteira para alguém da nossa idade. "Dá uma preguiça desgramada (sic), mas depois de uns vinte minutos a gente vê como é importante."
--- "É a primeira vez que um presidente participa da abertura da Bienal do Livro", disse Osvaldo Siciliano, presidente da Câmara Brasileira do Livro. "Não sabia que era a primeira vez. Da próxima, então, não será mais a primeira", respondeu Lula.

E essa não é uma lista de gafes, porque a lista é ainda maior!

Eu não sou a favor de FHC, nem de direita, nem petista. A cada eleição tendo achar o melhor entre os disponíveis. Mas francamente, esse presidente não está à altura do Brasil!

Duke disse...

Tem razão Dino, e acho que o anônimo pensa como nós. também não sou a favor nem do Lula, nem do FHC, Temos todos de ser a favor do Brasil, presidentes vêm e vão. Pra ser sincero, esta charge também cai muito bem para o Lula. Boa idéia. Vou postá-la aqui amanhã.
ABs
Duke

Magui disse...

Pelo que eu saiba o Brasil é um país democrático e as pessoas podem falar o que pensam.FHC falou em uma convenção do partido.E ninguém mais do que o VELHACO para pregar a luta de classes e de raças.Esta é uma das tônicas do seu governo.Vc fala o que quer e eu também.É assim que funciona um país livre.
http://somagui.zip.net

Duke disse...

Com toda razão, Magui, e acho que a internet vem democratizar ainda mais isso, pois na grande imprensa, todos sabemos que há muita parcialidade. A propósito, visitei seu blog e achei bem legal.
Abs
Duke